A curva de Laffer e o Liberalismo

25

A grande maioria das pessoas hoje em dia conhece a teoria da “curva de Laffer” uma vez que a mesma foi muito difundida em vários vídeos muito instrutivos no Facebook e outras redes sociais. Para quem não viu, vale procurar ver, mas em síntese essa curva mostra que a arrecadação do governo é zero se a alíquota dos impostos for zero, e que também tendem a zero se as alíquotas tenderem a 100%. O que Laffer mostra é que se todo nosso salário ou lucro nas empresas fossem para nas mãos do governo, ninguém iria trabalhar e, portanto, a arrecadação cairia a zero.

Fato matemático é que: se dois valores numa equação passam pelo zero sendo que inicialmente a curva teve algum crescimento, isto significa que ela se trata de uma equação de segunda ordem. Mas o que importa nisso? Simples. Existe um ponto de máximo na curva de Laffer a qual é aquele valor onde a sociedade de fato acredita ser um valor digno de se pagar em impostos.

Para nós liberais, IMPOSTO É ROUBO e sempre será. Já explicamos a diferença entre impostos e taxas. De qualquer forma, generalizando os termos tudo para impostos, entendemos que o ponto de inflexão (máximo) da curva são os pagamentos de taxas justas para se viver em sociedade, ao passo que daí para cima se tornam impostos que pagamos mediante coerção e possibilidade de prisão. Assim, quanto mais Liberal uma sociedade mais baixo o indicie de impostos aceito.

Tudo isso explicado, é importante lembrar que no início do mandato do prefeito Dilador Borges, eu o entrevistei no ARAÇATUBA S.A um programa da saudosa TV ARAÇATUBA deste grupo jornalístico. Neste programa, falei da sugestão de se fazer um super REFIS para receber dos munícipes os valores devidos sem multa e juros de forma a se colocar todos em dia com suas “contribuições” forçadas. Isto porque a quantidade de dinheiro era elevada e poderia dar margem a duas ações importantes e que colocariam o nome do prefeito na história. Ao arrecadar valores devidos ter-se-ia condições de 1) realizar grandes obras; e principalmente 2) teria em caixa um valor que lhe permitiria uma redução drástica nos valores de IPTU e principalmente ISS.

Reduzir o IPTU, ISS e afins, seria de fato o sinal do entendimento do prefeito que empregos seriam gerados e mais empresas iriam vir para cá, pagando menos impostos, porém arrecadando-se mais conforme mostra Laffer! Nosso prefeito não entraria para a história de Araçatuba apenas, mas entraria para o cenário Nacional!

Deixe um comentário