Os Leitores e o Liberal

32

É com muito regozijo que começo a escrever para este periódico aos domingos. O artigo de estreia não poderia ser outro que não uma explicação pormenorizada da importância da disseminação das ideias, e da necessidade de pluralidade das mesmas, num momento como este que nosso país vive. O título do artigo trata-se de um joguete de palavras que resume bem meu papel neste espaço, o qual é falar de Liberalismo para as pessoas de toda região Alta Noroeste Paulista e Três Lagoas/MS, assim como também enseja o papel do próprio jornal na vida da população destas cidades.

Quanto ao meu papel nesta coluna, caberá a mim levar para os leitores o pensamento sobre variados assuntos cotidianos dentro do aspecto da filosofia Liberal Clássica, também conhecida como filosofia Liberal da Escola Austríaca. Quanto ao que se refere o papel deste periódico na vida cotidiana dos cidadãos, é importante definir o papel da imprensa nos dias de hoje dentro da cultura regional que nos inserimos.

E deste modo falamos hoje justamente sobre o papel da imprensa neste momento em que o país vive uma guerra de informação e contra informação sobre todos os assuntos cotidianos. Vivemos pela primeira vez na história, uma situação onde cada pessoa é um editor de notícias, o qual escolhe o que deve ou não ser repassado via redes sociais, independentemente de veracidade dos fatos. Já não fosse isso o bastante, cada cidadão começa a aprender a editar notícias de forma que as mesmas se tornam parciais conforme a vontade e crença que cada um tem.

Longe de mim querer cercear tal direito. Como Liberal que sou, defenderei o direito de todo cidadão se expressar como bem entender, incluindo aí até as “fakenews” que queiram criar. Para nós Liberais o Livre Mercado conserta todo e qualquer problema criado pela condição humana que é falha e cheia de necessidades.

A prova do que estou falando reside justamente na explicação deste artigo. Senão vejamos. Num modelo de mundo como o que vivemos, se torna cada vez mais escasso uma coisa chamada certeza dos fatos na notícia propagada e, portanto, se torna cada vez mais necessária tal confiabilidade numa informação.

Oras! Tudo aquilo que é escasso e necessário se torna valoroso, e deste modo, o papel da imprensa séria e partidária da verdade volta a apresentar um valor muito alto percebido pela sociedade em geral. E este papel de trazer as verdades de cada cidade abrangida por este periódico tem se tornado a máxima nas publicações diárias do mesmo.

Araçatuba é um exemplo disso. Temos visto o papel imparcial deste matutino nas denúncias das mazelas vividas pelo cidadão desta cidade, frente ao modelo de gestão perdulária de nosso alcaide maior, o qual se elegeu prometendo uma gestão enxuta nos gastos com comissionados, para que o dinheiro público sobrasse para aqueles que mais necessitam.

É com esse espírito corajoso em criticar o que há de errado em nossa sociedade, que abro este espaço que me foi concedido por este jornal. Procurarei trazer meu melhor e espero disseminar ideias que frutifiquem numa sociedade mais justa e que privilegie o empreendedorismo e a geração de riqueza por parte de todos que trabalham em prol da Liberdade.

 

Rodrigo Andolfato é empresário da Construção Civil, membro do ilan – Instituto Liberal da Alta Noroeste

Deixe um comentário